4 formas simples para aprender inglês em casa

O inglês é parte da minha vida e do meu dia a dia. Vivendo como nômade digital e passando a maior parte do tempo fora do Brasil, minha primeira língua, praticamente, se tornou o inglês. Apesar de, no momento, estar em Portugal, falo inglês todos os dias, com meu namorado (que não fala português) e com os clientes que consegui fora do Brasil.

E, não, você não precisa ser ou querer ser nômade digital para aprender a falar inglês. O inglês é uma forma de se preparar não só para o mercado de trabalho – para aqueles que não querem perder oportunidades de trabalho –, mas também para o empreendedorismo e para a vida em um mundo cada vez mais globalizado.

Ao empreendender, preciso estar a par das últimas novidades, das últimas atualizações e de tudo que há de melhor no marketing e nas redes sociais. E, no fim, a maior parte das informações atualizadas é facilmente encontrada em inglês.

Os cursos que faço sobre Marketing Digital são todos em inglês, os tutoriais para construir meu site estavam em inglês (e os que ajudavam a resolver os problemas dele também), os amigos que eu fiz no último ano, enquanto viajava, só falavam inglês, e tanto no meu primeiro emprego remoto e agora com meus clientes atuais só se fala inglês.

Vou correr o risco de soar piegas, mas, vou falar de qualquer jeito: o inglês abre inúmeras portas e possibilidades que vão desde uma vaga de trabalho, até descobrir novas amizades e novas culturas.

Ainda assim, um levantamento da British Council aponta que só 5% dos brasileiros fala inglês. Ou seja, só pouco mais de 10 milhões de pessoas no Brasil sabem falar inglês. Se, por um lado, este parece ser um dado desanimador, por outro, é uma oportunidade enorme, já que você pode ser uma das poucas pessoas que falam inglês no país!

 

Como aprender inglês em casa 

 

O que pouca gente sabe sobre mim é que eu aprendi inglês em casa, sozinha. Comecei a fazer um curso de inglês só quando tinha 25 anos e já fui direto para a turma de conversação. Depois de um tempo, fui convidada pelo meu professor para dar aula de inglês na escola dele. E depois, dei aula de inglês em uma grande empresa nacional.

É claro que estudei o inglês básico da escola – que no fim não ensina nada de verdade – mas, o que me fez aprender tanto o inglês, quanto o espanhol e o italiano, foi estudar em casa.

Eu sei que você deve ter torcido o nariz quando leu “estudar em casa”. Porque estudar em casa não soa nada legal, não parece nada atraente e você já sabe que não vai ter motivação suficiente para tirar 1 hora por dia e enterrar o nariz em apostilas e materiais que não fazem nenhum sentido para você.

Por isto, eu vou compartilhar com vocês as formas que eu usei para aprender inglês em casa – e outros idiomas também – enquanto me divertia, sem nem mesmo sentir que estava aprendendo. E, te juro, é muito mais legal e mais fácil do que você imagina!

 

1) Assista a séries com áudio em inglês e legendas em português

 

Quando eu trabalhava como instrutora de inglês, alguns alunos me perguntavam se deveriam assistir séries em inglês com legenda em inglês. A resposta é: depende. 

Se você tem um nível avançado de inglês pode ser uma prática legal, já que vai ajudar no seu listening (capacidade de ouvir) e no reading (capacidade de ler). Mas, se você está começando, o ideal é assistir a séries em inglês com a legenda em português. 

Não precisa ficar conscientemente prestando atenção em todas as palavras e fazendo anotações. Faça desta uma atividade divertida! Divirta-se ao assistir uma série que gosta e deixe que o seu subconsciente faça o resto. Aos poucos você vai começar a se acostumar com os sons, pronúncias e sotaques e começar a associar as expressões em inglês com a tradução que aparece nas legendas.

Uma série excelente para começar a fazer isto e aprender inglês em casa é “Friends”. Ela é clássica e já é super batida, mas é incrível para esta finalidade. Isto porque a série conta a história de um grupo de amigos vivendo seu dia a dia – ou seja, trabalhando, comendo, namorando, saindo com os amigos, trocando experiências e fazendo piadas. É perfeito para aprender o vocabulário fácil do dia a dia.

Mas, por que séries e não filmes? Porque os personagens são os mesmos, eles têm rotinas, têm um vocabulário próprio e, portanto, repetições. Com expressões sendo repetidas constantemente, aos poucos, seus ouvidos vão começando a identificar palavras faladas e associar com as palavras em português escritas na legenda. 

E por que funciona? Bem, vou te fazer uma pergunta: como você aprendeu a falar português, que é seu idioma nativo? Pense, como os adultos ensinam as crianças a falar? Elas falam e as crianças repetem. Às vezes as crianças não conseguem repetir perfeitamente, mas elas primeiro escutam atentamente e depois tentam repetir

Got it?!

 

2) Ouça músicas em inglês e cante

 

Bom, você pode não ter tanto tempo livre como eu tinha quando era adolescente para ficar repetindo as falas dos personagens da minha série favorita. Porém, tenho certeza de que você tem tempo de ouvir música.

Você pode ouvir em casa, no trabalho, no carro. Então, comece fazendo uma pesquisa e tentando descobrir algumas músicas que você goste, nem que seja somente da melodia. Se não sabe por onde começar, comece por Beatles, que tem uma pronúncia fácil e letras simples. Mas, arrisque-se a ouvir músicas de cantores que você curte, mesmo que seja um pouco mais difícil de entender. Isto porque a sensação de alegria e prazer ajudam a aprender mais fácil.

Como aprender com músicas? Primeiro, só ouça a música, preste atenção no ritmo, na melodia. Quando estiver em casa ou no transporte público, comece a acompanhar a letra da música enquanto a escuta, assim você começa a ver a palavra escrita e entender como cada palavra é pronunciada.

Quando estiver em casa, tire um tempinho para ouvir a música e cantar junto. Ao cantar, você começa a pegar o jeito do sotaque, das entonações das sílabas e da pronúncia num geral. E esta é uma forma simples e divertida de aprender inglês em casa. 

No começo (tanto no inglês, quanto no espanhol e no italiano) sempre fazia isto. E lembro que, no início, cantar parecia um trava-línguas. Mas, eu tentava, e amava. Ouvia a mesma música uma vez atrás da outra e, quando conseguia pronunciar uma frase difícil, ficava super orgulhosa de mim mesma.

E, lembre-se, não importa se cantar errado, desafinado ou perder o tempo. Ainda assim, cante. Um dos maiores segredos para aprender uma nova língua é não ter medo de tentar e errar. O outro segredo é se divertir.

Eu sempre me divertia muito explorando as letras de músicas, procurando as traduções de frases e palavras (naquela época, usando um dicionário físico). E a medida que eu entendia o que aquela letra significava e, principalmente, quando eu sentia algum tipo de conexão emocional, ficava muito mais fácil de memorizar as palavras e depois a letra completa da música.

Aprender inglês com músicas nos diverte e funciona principalmente porque é leve e profundo ao mesmo tempo. E este tipo de aprendizado é duradouro.

 

 

3) Pense em inglês

 

Você pode até me dizer que não ouve música e que não assiste a séries, mas você não pode me dizer que não tem tempo para pensar. 

Bom, é claro que para começar a pensar em inglês é essencial que você conheça uma palavra ou outra. Então, se você assiste a uma série e ouve músicas em inglês, já ajuda. 

O maior benefício é que pensar é de graça e está acontecendo de qualquer forma, querendo você, ou não. Então, porque não otimizar seus pensamentos e trocá-los para o inglês?!

O que quero dizer é: pense em inglês, desde as pequenas coisas do dia a dia até os diálogos internos (vocês também têm isso ou sou só eu?!). Eu comecei, por exemplo, repetindo mentalmente coisas como “I have to take a shower” (eu tenho que tomar banho) ou “I have to go work” (eu tenho que ir para o trabalho).

Outra coisa que fazia era o seguinte: se eu tinha uma conversa importante com um professor ou um chefe naquele dia eu começava a pensar em como os abordaria, só que em inglês. Parece doido? Sim, parece. Mas, é a forma que você tem de praticar sozinho e começar a ganhar confiança para, depois, falar.

É fácil e é também uma forma de se tornar mais consciente com relação ao que você ainda não sabe e precisa aprender. Eu lembro que eu não sabia como se falava “tomar banho” em inglês. Então, na primeira vez que tentei pensar nesta frase, não consegui pensar nela completa e fui logo procurar no dicionário como se falava “tomar banho” em inglês. 

É óbvio que, no início, as frases não saem do jeito certo, que vai faltar conjunção, preposição, artigo e tudo mais. Mas, o importante é que você saiba o que está faltando e ir complementando. O importante é ir tentando. As crianças não falam as frases todas “tortas” no início?! Então…

Quando você fala uma frase para si e fala errado, por exemplo, “I have take shower” (em vez de “I have to take a shower“, que é o correto), e depois ouve alguém em uma série falando a frase correta, você assimila muito mais rápido e começa a preencher aquelas lacunas.

Esta é uma ótima forma de se preparar para a fase que as pessoas mais temem, que é o falar!

 

4) Fale sozinho ou converse com um falante nativo

 

Uma das maiores dificuldades que meus seguidores apontaram na pesquisa que fiz no Instagram – além do lado financeiro – é o medo e a vergonha de falar inglês. Eu entendo. Eu também sentia medo e muita vergonha de falar – especialmente se precisasse falar com outra pessoa que fosse falante nativo de PORTUGUÊS (!!!). Não entendo muito bem a lógica por trás disso, mas sei que muitos dos meus alunos também tinham esta mesma barreira.

Mas, falar com um nativo, na época em que eu estava aprendendo inglês, era como ir à lua – algo completamente distante para mim. E, no fim, eu só comecei a falar com pessoas que falavam inglês, de verdade, há poucos anos, já que nem nas viagens de turismo eu tinha conversas que iam além de pedir informações turísticas.

E eu sei que não é fácil encontrar um falante de inglês nativo para falar no meio da rua, especialmente se você é de uma cidade pequena, como eu. E, considerando também que a maior parte das pessoas não tem condições financeiras – ou tempo – para fazer um intercâmbio, o sonho de falar inglês acaba escorrendo pelo ralo.

Muitas pessoas até conseguem entender o básico, conseguem se virar. Mas, quando chega a hora de falar: travam. Por vezes, porque as pessoas se atrapalham com o sotaque do interlocutor e não entendem muito bem o que ele está falando; outras porque as palavras simplesmente não saem – dá um branco!

Então, uma forma de começar a perder este medo aos poucos é começar a passar do pensamento para a fala. Tente falar o que você está pensando. Se está pensando em tomar banho, fale isto – em inglês, óbvio. Além disso, eu costumava criar diálogos como se estivesse conversando com outra pessoa, por exemplo.

Mas, levando em consideração que na época que comecei a aprender inglês eu só tinha acesso à internet discada e que esta ideia de falar sozinho pode parecer muito doida ou complexa para você, existem várias formas de destravar sua fala e conversar com um falante nativo de inglês sem sair de casa, o que pode potencializar ainda mais o seu aprendizado.

Hoje em dia, existem plataformas como a Cambly, que tem professores nativos de inglês, que dão aulas particulares e estão disponíveis 24 horas por dia para falar com você e que ensinam inglês online do jeito que tem que ser – como você aprendeu português quando era criança –, ou seja, na prática. Não tem nenhuma enrolação, afinal, no começo você precisa aprender a ouvir e falar. E é assim que você aprende neste tipo de plataforma.

É possível filtrar pelo seu nível de proficiência (do básico ao avançado), a personalidade do professor, o sotaque, entre tantas outras características. E aí não tem desculpa! Você vai ter que falar e destravar logo. É uma ótima forma também de manter seu inglês afiado, ou até mesmo de ganhar segurança para uma viagem internacional ou uma reunião importante.

E não venha me dizer que vai falar inglês com o seu amigo brasileiro porque, me desculpe, não funciona! Quando você chegar aos Estados Unidos, ao Reino Unido, à Austrália ou à África do Sul, por exemplo, vai perceber que ninguém lá tem o sotaque do seu amigo brasileiro. E é isto que é uma das maiores dificuldades. Por que a vida real não é seu amigo brasileiro falando inglês; é um tailandês falando com sotaque australiano, ou um escocês com um sotaque… bem… escocês. 

Portanto, se preparar conversando com um falante nativo é uma ótima alternativa para aprender, afinar seu ouvido, aperfeiçoar sua fala, sotaque e ganhar vocabulário para começar a falar inglês de uma vez por todas.

PS: Ficou curioso e quer ganhar uma aula de inglês online grátis para testar a Cambly? Então, para fazer uma aula experimental de conversação com um professor nativo – de graça!!! É só clicar aqui, se cadastrar, usar o código LAISSCHULZ e começar uma ligação. Let’s go?! 

E aí, gostou deste artigo? Escreve aqui nos comentários!

Ah, e se quiser salvar este post para ler de novo depois é só salvar a imagem abaixo no seu Pinterest! Aproveita e me segue por lá para ficar por dentro das minhas dicas e inspirações! <3

aprender ingles em casa
Rolar para cima